Sobre o dia 2 – Minas Trend 21 – Brasil

Uma vez alguém me disse: “O segundo dia é sempre mais tranquilo!” Para o mim o segundo dia nesse caso era o mais esperado, antes de ir para o Expominas me encontro com a minha convidada especial Milena Badu e o fotógrafo André Solano, para que juntos fossemos ao show room da ANCESTRAL escolher os looks do dia. Chegando no Minas Trend o André mais que depressa se posiciona para capturar o melhor da passarela eu e minha convidada ocupamos os nossos lugares para assistir o primeiro bloco de desfile que seria iniciado pela Bob Store que apresentou uma coleção surpreendente, a marca hoje tem a frente da criação André Boffano e Sam Santos, os rapazes pegaram o melhor da marca, que são o tricô, couro e a alfaiataria e deram uma repaginada, nada conceitual, trabalharam visivelmente na nova modelagem e proporção das peças, trouxeram também mais informação de moda para os look e de repente surge Sophie Charlotte garota propaganda da Bob Store encerrando o desfile com chave de ouro.

Entre um desfile e outro uma selfie e um comentário com a minha convidada eis que se inicia o desfile mais aguardado (pelo menos pra mim), a estreia da marca LED do meu querido amigo Célio Dias apresentando sua nova coleção primavera/verão 2018. Eu já acompanho o trabalho do Célio há algum tempo então sei que ele sempre vai nos surpreender a cada coleção que ele lançar. Abusando do pensamento ecossustentável a LED traz para a passarela do Minas Trend peças em crochê, plástico e resíduo têxtil, em uma cartela de cores intensa que eu amei e também apresenta peças para o dia a dia em sarja, linho, sintético e jeans. A marca Diwo completamenta os look com bolsas e pochetes e a Tatiana Marques calça os modelos com as suas maravilhosas e super confortáveis slides.

A LED fez parte da apresentação coletiva Top Five na última edição do São Paulo Fashion Week como mostramos, mas nem se compara a sua apresentação incrível no Minas Trend Preview, aplaudida de pé por toda plateia preenchida por, blogueiros, estilistas, colunistas e amigos do nosso querido Célio Dias. Assim que encerra o primeiro bloco dos desfiles vou ao backstage para conferir a preparação do desfile do Ronaldo Silvestre que também estreia na passarela do Minas Trend, fiquei encantado com o que vi e acredito que esse é o propósito da coleção que tem como tema o conto de Clarice Lispector “Maio – A perigosa Yara”, mas logo conto como foi o desfile e falo sobre as peças. Nessa edição quis conhecer com mais calma o salão de negócios da FIEMG onde é possível encontrar o trabalho de expositores de todo estado e a cada stand que eu visita mais encantado e feliz eu ficava por ver que o meu estado também e rico em moda, marcas incríveis que merecem ter seu lugar ao sol.

De volta a sala de desfiles, vamos para os nossos lugares e eu aguardo ansiosamente pelo início do desfile do Ronaldo Silvestre, ele que já participou do Dragão Fashion no Ceará por um tempo apresenta uma coleção como eu já havia dito inspirada no conto de Clarice, o desfile se inicia como uma peça em debrum que nada mais é que o aproveitamento do resíduo têxtil formando “nervuras veias” aplicadas no tule, Silvestre tem se dedicado também a moda sustentável e no durante uma conversa no backstage descubro que o mesmo fez parceria com projetos incríveis, como o Casulo Feliz responsável pelas sedas artesanais usadas pelo estilista, o projeto faz o reaproveitamento do casulo rompido e tingimento com pigmentos naturais e uma outra grande parceria e com o Instituto Tecendo Itabira, Ronaldo usa crochês e bordados para valorizar o trabalho manual, foi um desfile incrível com várias peças em transparência, bem estruturas, o preto está presente em todas as peças, mas cores como vermelho, laranja, amarelo e o verde trazem vida para os looks, peças masculinas também fizeram parte do desfile.

A estreante Chocker trouxe para passarela pierrots, colombinas e arlequins vestidos com looks inspirados nos papéis de carta da artista japonesa Mira Fujita, peças em corte a laser, com bordados eletrônicos com aplicações de pedraria e plumas, camisaria dramática, calças pantalonas, mangas bufantes e moletom com proposta oversized são algumas das apostas da marca.

Com referências no trabalho do artista plástico David Hockney a Annes Est Folle desenvolveu as peças da coleção de outono inverno, a estilista Renata Manso usou tecidos como o jacquard, tweed, linhos e fios de lã, para conseguir trabalhar texturas e estampas, ela conta que fez alguns desenhos impressionista e trabalhou pinturas digitais que parecem ser feitas a mão, o floral foi predominante em especial as rosas e a cartela de cores foi bem variada, mas destaca-se o preto, azul-marinho, vermelho e o verde.

E finalizando a maratona de desfiles Letícia Manzan que se apresenta pela segunda vez no evento, trouxe uma coleção ousada, ela nos levou a uma viagem a década de 30 e 40 onde o movimento boudoir de lingerie estavam no auge. A estilista valoriza a sensualidade da mulher que pode ser apreciada de várias maneiras, a sua ousadia foi notada a cada modelo que entrava na passarela e isso fez com que ela se destaca-se pois ela trouxe algo novo e inusitado para essa edição do Minas. Franjas, midi, corselets, tule bordado, renda chantilly, fez com que o desfile da Manzan fosse aplaudido fervorosamente. As cores verde petróleo, cinza, marsala, cinza mescla e preto foram as escolhidas, além disso muita ênfase em sobreposições e a principal proposta de Letícia é provar que é possível usar roupa casual em festa e vice-versa e querem saber ela conseguiu! Na saída da sala de desfiles só se ouvia elogio de todos os cantos. E assim encerramos nossa participação no Minas Trend Preview, foi maravilhoso e que venha os próximos.

P.h André Solano

 

Raul Nunes

Apaixonado por fotografia e cultura – irmão mais novo da Kim Kardashian – leonino, curioso, louco por moda e apaixonado por café, amante da boa culinária e da música.

Deixe uma resposta